Instituto de Desenvolvimento Sustentável de Comunidades Humanizar, nome fantasia Instituto Humanizar com sigla IDESC, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, conforme consta do processo MJ nº 08071.003265/2009-84 e do Despacho da Secretaria Nacional de Justiça-SNJ, de 04/03/2009, publicado no Diário Oficial da União de 06/03/2009.

Contamos com uma equipe multidisciplinar para otimizar e garantir a execução de programas e projetos voltados a busca do desenvolvimento econômico, social e ambiental. Portanto, todas as áreas que envolvem a eficiência da vida no planeta.


O Idesc tem como finalidades:

I. Promoção da assistência social através da elaboração e implantação de programas, projetos básicos e executivos, pesquisas e ações tanto educacionais, culturais, profissionais, econômicos e sociais; de auditorias, consultorias, nas áreas técnicas e científicas da administração, jurídica, fiscal, financeira; difusão de conceitos e técnicas voltadas à modernização, a estruturação/reestruturação e gestão voltadas ao desenvolvimento integrado e autossustentável.

II. Promover ações sociais, oportunizando a integração sócioeducativa, formação profissional e cidadã de crianças, adolescentes e respectivas famílias de baixa renda.

III. Trabalhar de forma articulada na rede de atendimento, com as políticas sociais de Educação, Saúde, Trabalho e Assistência Social, na garantia da proteção integral e do fortalecimento do Estatuto da Criança e do Adolescente.

IV. Promover a integração de adolescentes e jovens ao mercado de trabalho, inclusive de menores infratores ou em situação de risco.

V. Promover a proteção Jurídico-social e a defesa dos direitos humanos e sociais, para garantir a Declaração dos Direitos Humanos.

VI. Desenvolver, orientar e implementar programas, projetos e ações de interesse público e comunitário, nas áreas de engenharia, infra-estrutura, saneamento, saúde, educação, esporte, lazer, cultura, turismo, comunicação, telecomunicações, minas e energia, agricultura e pecuária, segurança pública, finanças e previdência social, terceiro setor em parceria com os setores governamentais e não governamentais.

VII. Fazer parcerias com o mercado empregador para manter pontos de referência de disponibilidade de mão-de-obra.

VIII. Desenvolver estudos e pesquisas, tecnologias alternativas, produção e divulgação de informações e conhecimentos técnicos e científicos voltados à promoção da valorização humana e bem estar social, da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e outros valores universais.

IX. Promover ações que viabilizem a reinserção social de egressos do sistema penitenciário, criando oportunidades para o seu desenvolvimento, social, econômico, espiritual e pessoal, através de parcerias com os setores públicos e privados, nacionais e internacionais, sob os diversos aspectos como, trabalho, educação, cultura, dentre outras áreas.

X. Promover ações que viabilizem a recuperação dos detentos, dentro e fora do sistema penitenciário, independente do regime de pena, promovendo a educação, a cultura, o trabalho, a obtenção de renda, voltados ao resgate da dignidade da pessoa humana, bem como a sua transformação pessoal e de seus familiares, juntamente com o setor público e/ou privado, prestando assistências jurídica, psicológica e material.

XI. Promover o equilíbrio ético nas relações de consumo, por meio da maior conscientização e participação do consumidor e do maior acesso à Justiça, inclusive com o envolvimento e parcerias com entes públicos, privados, nacionais e internacionais.

XII. Contribuir e participar com a implementação e aprimoramento da legislação de defesa do consumidor e de matérias correlatas.

XIII. Atuar na repressão do abuso do poder econômico nas relações de consumo e nas demais relações jurídicas correlatas.

XIV. Atuar judicial ou extrajudicialmente em defesa do consumidor, nas relações de consumo e qualquer outra espécie de relação correlata, coletiva ou individualmente, também perante os poderes públicos, inclusive nos casos em que o consumidor seja prejudicado com a exigência de tributos, bem como na defesa de quaisquer direitos difusos, coletivos e individuais homogêneos.

XV. Promoção da cultura, defesa e conservação do patrimônio histórico e artístico.

XVI. Atuar na elaboração de estudos, pesquisas e projetos de constituição de Guarda Municipal, bem como recrutar, selecionar candidatos e realizar a capacitação ao exercício das funções.

XVII. Promoção gratuita da educação, observando-se a forma complementar de participação das organizações de que trata esta Lei.

XVIII. Promover a capacitação e o aperfeiçoamento educacional e profissional, inclusive para servidores públicos, nas áreas técnicas, humanas, econômicas, sociais, administrativas, de produção e serviços, através da elaboração e implantação de programas, projetos, pesquisas, cursos, palestras, conferências, seminários, oficinas, treinamentos, campanhas sociais, feiras, exposições, congressos, concursos e convênios com entidades públicas e privadas nacionais e internacionais.

XIX. Realizar e/ou participar de parcerias de concursos públicos.

XX. Promoção gratuita da saúde, observando-se a forma complementar de participação das organizações de que trata esta Lei.

XXI. Promoção da segurança alimentar e nutricional.

XXII. Promoção do desenvolvimento econômico e social e combate à pobreza.

XXIII. Celebrar atos, convênios, parcerias, com entidades do terceiro setor, associações, fundações, do primeiro e segundo setor, para captar e receber recursos financeiros, fazer financiamentos e receber doações, inclusive de organismos nacionais e internacionais, para desenvolver, implantar, fazer a gestão de projetos, programas, pesquisas, cursos, palestras, conferências, seminários, oficinas, treinamentos, campanhas sociais, feiras, exposições, congressos, concursos e quaisquer outras ações voltadas à realização de seus objetivos sociais e culturais.

XXIV. Realizar a venda de produtos e serviços e de fundos patrimoniais.

XXV. Promoção da defesa, da prevenção, preservação e conservação do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável através da elaboração, da implantação de projetos, programas e quaisquer outras ações técnicas e metodológicas.

XXVI. Atuar para a garantia da qualidade do meio ambiente, no conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permitem, abrigam e regem a vida em todas as suas formas, através de processos de fiscalização de impactos negativos gerados por atividades produtivas de empresas privadas e públicas, buscando o respeito às normas e legislações ambientais existentes.

XXVII. Atuar juridicamente na aplicação do conjunto de leis do ramo do Direito Ambiental, com ações jurídicas em todas as esferas ou instâncias que se fizerem necessárias em todo território nacional, obedecidas as regras processuais.

XXVIII. Atuar na fiscalização das TACs, com a finalidade de garantir o cumprimento efetivo.

XXIX. Promover o assessoramento, prestar serviços, desenvolver, implantar, orientar e participar de programas, projetos e outras formas de ação técnica, coletiva, pública ou privada, que promovam a prevenção e preservação do meio ambiente.

XXX. Participar nas lutas e movimentos sociais que atuem com objetivos similares.

XXXI. Formar e/ou reciclar profissionais de meio ambiente, promovendo a adoção de tecnologias e abordagens inovadoras, especialmente às voltadas para o desenvolvimento sustentado.

XXXII. Participar e promover programas de educação, difusão de conhecimento e de conscientização.

XXXIII. Contribuir para o fortalecimento dos mecanismos institucionais de proteção e conservação do meio ambiente, garantindo a aplicação da Política Nacional do Meio Ambiente.

XXXIV. Criar, produzir e disseminar conhecimentos especializados, que tenham na ecologia seu tema principal.

XXXV. Exercer atividade de natureza econômica, realizar aplicações financeiras, em fundos de investimento de impacto social como FIPs, FMIEEs ou holdings empresariais, dentre outros, participar como sócio majoritário ou minoritário em sociedades empresárias, de negócios com impacto socioambiental, inclusive com alienação de ações para terceiros, conforme valores e práticas de mercado.

XXXVI. Aportar capital para negócios de sociedades empresárias que gere impacto social, podendo doar recursos, aquisição direta de participação acionária, dívida conversível e contrato de opção com direito de subscrever quotas/ações de uma sociedade.

XXXVII. Fazer se representar em Órgãos Colegiados e/ou Deliberativos, Conselhos, Entidades e outras correlatas, dos poderes públicos Municipais, Estaduais e Federais, de todos os segmentos da vida humana.



Fale Conosco